obesidade infantil e familia

Sinopse

O número de pessoas obesas tem aumentado em todas as partes do mundo nas últimas décadas e a prevalência da doença em crianças chama a atenção pelo rápido crescimento. Dentre os vários fatores que causam a obesidade, o ambiente tem sido cada vez mais estudado e as relações familiares constituem um aspecto fundamental para analisar o desenvolvimento da doença. Embora existam muitas pesquisas que destaquem a importância da mudança nos hábitos familiares para a perda de peso da criança, são poucas as que investigam a participação das relações entre os membros da família na obesidade infantil.

De forma sucinta e esclarecedora, este livro é destinado a profissionais de saúde e ao público em geral interessado no tema da obesidade. Nele, são apresentados um breve panorama da obesidade no mundo e no Brasil, a representação da alimentação familiar ao longo da história e os principais conceitos que envolvem a estrutura da família e o seu ciclo de vida. Para ilustrar a apresentação e ampliar a discussão sobre o tema, os autores utilizam um estudo de caso com uma família de três gerações, com uma criança obesa. Por meio da teoria sistêmica, tornou-se possível compreender o papel da família no surgimento e na manutenção da obesidade em crianças e examinar como esse fator deve ser amplamente considerado para um tratamento bem-sucedido da doença.

***

O livro “Obesidade infantil: interações familiares e ciclo de vida numa perspectiva sistêmica”, de Vladimir de Araújo Albuquerque Melo e Maria Alexina Ribeiro, publicado pela Editora Appris, pode ser encontrado nas principais livrarias do país:

Sinopse

Este livro é uma produção do Grupo Socius (CNPq) e do Grupo “Família, processos de desenvolvimento e promoção da Saúde” (ANPEPP) e está consoante com a Área de concentração “Saúde, cultura e desenvolvimento humano” e a linha de pesquisa “Desenvolvimento humano em sistemas familiares e educacionais” do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Psicologia da Universidade Católica de Brasília – UCB.

Apresenta parte dos dados de dois projetos de pesquisa realizados na UCB, entre 2010 e 2017, com aprovação e financiamento do CNPq e CAPES, coordenado pela Professora Doutora Maria Alexina Ribeiro e contou com a participação de uma equipe formada por professores, alunos de mestrado e doutorado e graduação em Psicologia. Contou também com o apoio e parcerias com médicos e nutricionistas da Secretaria de Saúde do DF, que participaram das discussões sobre o tema e encaminhamento de famílias que possuem crianças e adolescentes com transtornos alimentares ou obesidade para fazerem parte da pesquisa.

Os projetos tiveram como objetivo construir uma metodologia de atendimento psicossocial a crianças e adolescentes com diagnóstico de transtornos alimentares e suas famílias, a partir do conhecimento dos aspectos intrapsíquicos, familiares e sociais das mesmas. A metodologia utilizada foi  qualitativa, por meio de entrevistas do ciclo de vida familiar, construção dos genogramas familiares, realização de Grupos Multifamiliares, aplicação do teste de Rorschach no caso dos adolescentes e uso de técnicas e dinâmicas da abordagem sistêmica da família.

Para a organização deste livro, convidamos professores que fazem parte do Grupo da ANPEPP – “Família, processos de desenvolvimento e promoção da Saúde” e colegas que têm estudado o tema da alimentação, os quais enriqueceram e valorizaram nosso trabalho, aprofundando os conhecimentos sobre estas questões que são consideradas como problemas de saúde pública no Brasil e vários outros países. Assim, os capítulos tiveram como autores, além de alguns convidados de outras Instituições de Ensino, os participantes da equipe de pesquisa referida acima, alunos de mestrado e doutorado em Psicologia da UCB, que apresentaram os dados de suas dissertações e tese, e alunos de graduação com seus trabalhos de final de curso de Psicologia, todos realizados sob a orientação da Professora Maria Alexina Ribeiro. Os mestrandos e doutorandos receberam bolsas de estudo (CAPES e FAPDF) e alguns alunos de graduação tiveram bolsas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC/CNPq).